Punk da Periferia
Das feridas que a pobreza cria
Sou o pus
Sou o que de resto restaria
Aos urubus
Pus por isso mesmo este blusão carniça
Fiz no rosto este make-up pó caliça
Quis trazer assim nossa desgraça à luz

Sou um punk da periferia
Sou da Freguesia do Ó
Ó
Ó, aqui pra vocês!
Sou da Freguesia

Ter cabelo tipo índio moicano
Me apraz
Saber que entraremos pelo cano
Satisfaz
Vós tereis um padre pra rezar a missa
Dez minutos antes de virar fumaça
Nós ocuparemos a Praça da Paz

Sou um punk da periferia
Sou da Freguesia do Ó
Ó
Ó, aqui pra vocês!
Sou da Freguesia

Transo lixo, curto porcaria
Tenho dó
Da esperança vã da minha tia
Da vovó
Esgotados os poderes da ciência
Esgotada toda a nossa paciência
Eis que esta cidade é um esgoto só

Sou um punk da periferia
Sou da Freguesia do Ó
Ó
Ó, aqui pra vocês!
Sou da Freguesia
Trecho, título ou autor:
De quem:
Nacionalidade:
Com solo de piano?:
(Escolha aleatória)
Título - Compositor ou intérprete
La bohème (Charles Aznavour)
Cinema Paradiso (Ennio Morricone, Josh Groban)
Nervos de Aço (Paulinho da Viola)
Hino nacional do Brasil (Francisco Manuel da Silva, Joaquim Osório Duque Estrada)
Flor de liz (Djavan)
Atrás da porta (Chico Buarque, Francis Hime)
Pedacinhos (Guilherme Arantes)
Coisas do Brasil (Guilherme Arantes)
Brasileirinho (Waldir Azevedo)
A novidade (Paralamas)
Coração do Agreste (Fafá de Belém, Moacyr Luz, Aldir Blanc)
Água de beber (Tom Jobim, Vinícius de Moraes, Astrud Gilberto)
Qualquer Coisa (Caetano Veloso)
Aquele abraço (Gilberto Gil)
Time (Pink Floyd)
Emoções (Roberto Carlos, Erasmo Carlos)
Bridge over trouble water (Paul Simon, Garfunkel)
Carinhoso (Pixinguinha)
Ben (Michael Jackson, Walter Scharf, Don Black)
Um novo tempo (Marcos Valle, Nelson Motta)